João Pamphilo Velloso d’Assumpção nasceu em Curitiba em 7 de setembro de 1868, e formou-se pela Faculdade de Direito de São Paulo, em 1889, na turma da qual também faziam parte o poeta Emiliano Pernetta e o jurista Otávio do Amaral. Após formar-se, permaneceu na capital paulista, dedicando-se aos estudos e à profissão de advogado, para conseguir, em 1897 o raro grau de Doutor em Ciências Jurídicas e Sociais, num concurso pra catedrático substituto de um grupo de cadeiras referentes à área de Economia e Administração.

Quando retornou à Curitiba, Pamphillo d’Assumpção chegou bem recebido e ornado de grande prestígio, admiração e respeito. Logo abriu seu escritório, que era muito solicitado, e começou a contribuir com a imprensa local, com crônicas e críticas artísticas. Foi o fundador e primeiro presidente do Instituto de Advogados do Paraná, sendo reeleito para o cargo durante 15 anos, após passando a figurar como presidente honorário. Fundador da primeira faculdade de Direito do Paraná e do Centro de Letras do Paraná, junto com Emiliano Perneta, em 1912. Casou-se com a pintora Maria Amélia de Barros em 1920.

Pamphillo d’Assumpção foi fundador do Instituto, seu presidente de 1917 até 1932. Foi responsável pela instalação da Seção Paranaense da OAB, e seu presidente de 1932 a 1937.

Também foi responsável pela instalação da seção paranaense da Ordem dos Advogados do Brasil, em 1930, dedicando ao órgão durante cinco anos todo seu zelo e inteligência. Faleceu aos 77 anos em 15 de janeiro de 1945.